noema

gr. : pensar, pensamento

O noûs em Platão

5. Em adição ao noûs imanente nas almas humanas (o logistikon; ver psyche 15, 18) cuja operação é conhecer os eide e governar todas as outras partes da alma (ver noesis 8-9), há, em Platão, um noûs cósmico. Esta razão cósmica emerge no Phil. 26e-27c onde é chamada «o fautor» (demiourgoun, poioun), a «causa da mistura» que é o mundo da genesis. Quase os mesmos termos são aplicados ao demiourgos do Timeu onde o kosmos noetos é chamado a obra do noûs (47e). Ora o noûs é uma propriedade essencial dos deuses partilhada apenas por alguns homens (ibid.

Gobry: noesis

nóesis (he) / noesis: pensamento, noese. Latim: intellectus.

Esse termo designa, mais precisamente, a razão intuitiva, aquela que contempla diretamente o inteligível, o noetón / noeton.

Antes do sistema platônico, esse termo designa o pensamento em geral. Em Parmênides (fr. 2), o pensamento do Ser e do não-ser; no materialismo de Diógenes de Apolônia, a inteligência em geral, mantida pelo ar que respiramos.

Guthrie: Tractate 37 (II, 7) — About Mixture to the Point of Total Penetration.

1. Refutation of Anaxágoras and Democritus.

Refutation of Aristotle and Alexander of Aphrodisias.

Refutation of the Stoics.

Explanation of mixture that occupies more space than its elements.

Case of mixture of unequal quantities.

2. Evaporation may lead to a third theory of mixture.

Refutation of Stoic explanation of evaporation.

Refutation of peripatetic explanation of evaporation.

3. The body is rationalized matter.

logismos

logismós: raciocínio, pensamento discursivo ver noesis. [Termos Filosóficos Gregos, F. E. Peters]


Logismos, raciocínio. Quando aplicado à divindade como por Platão, no Timeu, significa uma causa distributiva das coisas. (Thomas Taylor)