hamartia

gr. . Entre os gregos, a noção de pecado, em sentido moral, já é expressa nos famosos versos da Odisseia 1, 32s de Homero: "Ai! Como nos acusam sempre os mortais a nós deuses! De nós vem o mal, dizem, enquanto eles mesmos se causam os sofrimentos por seus próprios crimes contra o destino". gr. anamartesia: impecabilidade.

hamartia

Entre os gregos, a noção de pecado, em sentido moral, já é expressa nos famosos versos da Odisseia 1, 32s de HOMERO: "Ai! Como nos acusam sempre os mortais a nós deuses! De nós vem o mal, dizem, enquanto eles mesmos se causam os sofrimentos por seus próprios crimes contra o destino". Meridianamente clara é a ideia de hamartía, em PLOTINO, por exemplo, na Enéada I, 1, 11, 10: "E os animais, como possuem a vida? Se, como se diz, há neles almas humanas que pecaram..." (hamartoúsai é o verbo empregado). [Ullmann]

Cármides

Sobre a temperança (sophrosyne). Sócrates foi um bom educador e não um corruptor da juventude. Toma distância do ensinamento socrático impugnando o gnothi seauton e a redução da virtude à ciência. Tenta definir cientificamente a temperança, mas chega a uma conclusão negativa.


Wikipedia: Português; Espanhol; Francês; Inglês (mais completa)

Eutidemo

Contra as falácias dialéticas dos sofistas.

Resumo de Jean Brun
No Eutidemo, em que Sócrates denuncia também a vaidade do saber enciclopédico dos sofistas, é-nos dito que, mesmo que existisse uma ciência capaz de tornar imortal, de nada serviria se não soubéssemos usar essa imortalidade. Precisamos, então, de um saber que ao mesmo tempo produza e saiba usar aquilo que produz (289 b).

Protágoras

Trata da virtude em geral, e em especial se pode ser ensinada. Contra os sofistas. Se propõe assinalar a diferença entre o método socrático e a sofística.

Laques

Laques

Sobre o valor militar, a coragem,. Não chega a nenhuma conclusão em seu intuito de definir a virtude da coragem. A questão tratada (armadura pesada) parece um pretexto para demonstrar praticamente o método dialético que se deve seguir em uma discussão.

Apologia de Sócrates

Escrita ao regressar Platão de sua viagem ao Egito. Reproduz a defesa de Sócrates diante de seus juízes. Não se ajusta rigorosamente às acusações apresentadas diante do tribunal, mas tem, certamente, valor histórico, pois na data de sua composição viviam todos ou grande parte dos que haviam presenciado o processo.

John Smith: Discurso II - Busca

To seek our divinity merely in books and writings, is to seek the living among the dead: we do but in vain seek God many times in these, where His truth too often is not so much enshrined as entombed: — no; intra te quaere Deum, seek for God within thine own soul; He is best discerned noera epaphe as Plotinus phraseth it, — by an intellectual touch of Him — we must see with our eyes, and hear with our ears, and our hands must handle the word of life, that I may express it in St. John's words.