autos

A primeira palavra de Equécrates, no Fédon, é autós, e também é a primeira palavra dita por Fédon. A que identificar este "si mesmo"? Ao corpo, à alma, à união dos dois?

Filebo

Philebus ou Filebo

Sobre o prazer e o bem. Filebo vive uma vida de extremo hedonismo, desprovida de razão e pensar, que não sustenta qualquer conversa sobre ela e não se submete à reflexão. Tanto que no meio do diálogo Filebo se cala.

Os princípios da ética (como viver melhor) se conectam com princípios de metafísica e lógica exercendo demandas lógicas sob um apelo ético.

Sof 258b-259b: O desprezo de Parmênides

Estrangeiro – Não percebeste que com nossa rebeldia ultrapassamos de muito a proibição de Parmênides?

Teeteto – Como assim?

Estrangeiro – Violamos o limite por ele interditado, e em nossa investigação lhe mostramos mais coisas do que o que ele próprio admitira.

Teeteto – De que jeito?

Estrangeiro – Algures ele diz:

Nunca possível ser-te-á compreender que o não-ser possa ser
Desse caminho conserva afastado o intelecto curioso.

Teeteto – Sim, foi isso mesmo que ele disse.

Sof 257b-258b: O Outro, não ser do Ser, mas não uma negação absoluta

Estrangeiro – Consideremos também o seguinte.

Teeteto – Que será?

Estrangeiro – Sempre que nos referimos ao não-ser, não temos em vista, como parece, o oposto do ser, porém algo diferente.

Teeteto – De que jeito?

Estrangeiro – Quando falamos de algo não grande, achas que nos referimos mais ao pequeno do que ao igual?

Teeteto – Como assim?

Sof 256d-259b: O Outro, não-ser do Ser

Estrangeiro – A esse modo, com toda a segurança, não é ser o movimento, como também é ser, visto participar da existência.

Teeteto – Certíssimo.

Estrangeiro – De onde fica também certo, necessariamente, que o não-ser está no movimento e em todos os gêneros, pois a natureza do outro, entrando em tudo o mais, deixa todos diferentes do ser, isto é, como não- ser, de forma que, sob esse aspecto, poderemos, com todo o direito, denominá-los não existentes, e o inverso: afirmar que são e existem, visto participarem da existência.

Teeteto – É possível.