Epicuro

Epicuro de Samos (342-271 aC) é o fundador da escola com nome em sua homenagem, também chamada Kepos ("Jardim", o lugar de reunião em ). Em Diógenes Laércio encontram-se boa parte dos fragmentos de sua obra e inclusive suas "Sentenças Principais", espécie de catecismo das doutrinas do atomismo e de sua ética hedonista. [SCHÄFER]

Peters: genesis (Aristóteles)

12. Tudo isto é, porém, a genesis pré-cósmica, a situação «antes que ouranos se formasse» (ibid. [[Tim:52d|52d]]). As qualidades, juntamente com os seus «poderes» associados (dynameis; ver pathos, paschein), andam à deriva no Receptáculo de maneira caótica (ibid. [[Tim:52d|52d-53a]]). Mas então o nons começa a sua ação e põe ordem no caos ao transformar as qualidades primárias da terra, ar, fogo e água nos quatro corpos primários do mundo sensível (ibid.

Imortalidade da Alma

A tendência comum é representar a imortalidade da alma como sua perenidade face a morte do corpo. Entretanto é possível pensar a imortalidade como o permanente sob a impermanência geral. Pensamentos têm início e fim, limites, são passageiros; sensações têm início e fim, limites, são passageiras; percepções têm início e fim, limites, são passageiras. Algo, no entanto, permanece contínuo, justamente sob a passagem dos pensamento, sensações e percepções. Algo não tem início e fim, e limites, junto com os pensamentos, sensações e percepções que passam.

therapeia

Therapeutes, apresenta os dois sentidos principais do verbo sobre o qual é formada a palavra: “servir, cuidar, cultivar” e “tratar, curar”. No Górgias, Platão qualifica um cozinheiro como um therapeutes somatos, aquele que cuida do corpo. Porém, em Leis, Platão qualifica o filho de “servidor dos deuses, da família, e da cidade”, dando a therapeutes uma nuance de valor religioso, que Diès em sua tradução das Leis, opta por “honrar”.

Sorabji: Autoconsciência

Nossa autoconsciência era um tema muito importante para os neoplatonistas, porque, de Jâmblico em diate, viam o dito délfico "Conhece-te a ti mesmo" como o portal para o conhecimento de Platão e de toda a Filsofia e, como Agostinho aprendeu dos neoplatonistas, procuravam Deus dentro.

Richard Sorabji

Professor emérito de Filosofia do King's College London e Fellow of Wolfson College, Oxford. Autor de muitos livros e editor geral da coletânea ANCIENT COMMENTATORS ON ARISTOTLE, uma série importante de traduções que forma parte da base de outro importante livro seu, a trilogia "THE PHILOSOPHY OF THE COMMENTATORS 200-600 AD".

Epicuro: Felicidade e Prazer

Submitted by mccastro on Fri, 26/09/2014 - 10:32

Excertos de Epicuro, Carta a Meneceu, in Diógenes Laércio, Vida dos Filósofos Ilustres, trad. esp. de Felix Corso, vol. II, pp. 538-542.

Devemos estudar os meios de alcançar a felicidade, pois, quando a temos, possuímos tudo e, quando não a temos, fazemos tudo por alcançá-la.

Respeita, portanto, e aplica os princípios que continuadamente te inculquei, convencendo-te de que eles são os elementos necessários para bem viver.

Enéada III, 2, 4 — A vida daqui é movimento e desordem

4- No nos admiremos de que el fuego sea apagado por el agua, o de que cualquier otra cosa sea destruida por el fuego. Alguna otra cosa trajo al fuego a la existencia y, como no se ha producido por sí mismo, algo también que no es él le destruye. El fuego vino a la existencia por la destrucción de alguna otra cosa, con lo cual, naturalmente, nada tiene de extraño que él mismo sea destruido, porque, además, una cosa nueva surge con la destrucción del fuego.