onoma

ónoma: nome. Os problemas filosóficos respeitantes à linguagem são introduzidos pela insistência de Heraclito na realidade da mudança e da ambiguidade tanto dos fenômenos como das nossas maneiras de os nomearmos (ver frgs. 67, 32). Mas eles aparecem numa fórmula conceptualizada mais rigidamente com a distinção dos sofistas entre natureza ( ) e convenção ( ). Górgias, por exemplo, nega toda a ligação entre a palavra e o objeto descrito (Sexto Empírico, Adv. Math. vn, 84), levantando com isso a questão da «correção» dos nomes. Pródico deu largas lições sobre o assunto (Platão, Crát. 384b), e sabemos por Xenofonte, Mem. III, 14, 2 que era um tópico frequentemente discutido em .

Filebo

Philebus ou Filebo

Sobre o prazer e o bem. Filebo vive uma vida de extremo hedonismo, desprovida de razão e pensar, que não sustenta qualquer conversa sobre ela e não se submete à reflexão. Tanto que no meio do diálogo Filebo se cala.

Os princípios da ética (como viver melhor) se conectam com princípios de metafísica e lógica exercendo demandas lógicas sob um apelo ético.

Crátilo

Sobre a propriedade das palavras. Contra o heraclitismo. Insuficiência das palavras e das etimologias para chegar à verdade e à essência das coisas. Aparece a teoria das Ideias.