rhetorike

gr. rhetoriké = retórica, arte do discurso. Segundo Monique Canto designa ao mesmo tempo, no Górgias de Platão, a disciplina ensinada e uma maneira de se exprimir.

apodeixis

apódeixis: ação de evidenciar, demonstração, prova

Na metodologia técnica aristotélica apodeixis é uma demonstração silogística que, se as premissas forem verdadeiras e essenciais, conduzirá à episteme (Aristóteles, Anal. post. I, 71b-72a). Os indivíduos não estão sujeitos a definição e, por isso, são indemonstráveis (Aristóteles, Metafísica 1039b); ver dialektike, katholou. [Termos Filosóficos Gregos, F. E. Peters]

Górgias

Contraposição entre a retórica e a verdadeira sabedoria, entre o direito da justiça e o da força. Faz ressaltar a sobriedade da dialética contra os excessos da retórica. (Vale mais sofrer a injustiça que cometê-la. Contraste entre o prazer e a virtude. Hedonismo imoral de Polos e Calicles. Utilitarismo socrático. Aparece o mito sobre a imortalidade da alma. Tem uma finalidade prática e moral, apresentando a Retórica como uma arte da mentira, funesta para os indivíduos e o Estado.

Thomas Taylor: THE NICOMACHEAN ETHICS I-2

If, therefore, there is a certain end [telos] of actions [praxis], which we wish [to obtain] for its own sake, but we desire other things on account of this, and our choice is not directed to all things for the sake of something else (for thus there would be a progression to infinity, so that appetite would -be empty and vain)—if this be the case, it is evident that this end will be the good [agathon], and that which is the most excellent [ariston]. Will not, therefore, the knowledge [gnosis] of this end be of great importance with respect to life [bios] ?

Górgias 519b-520d — Atitudes do Político e do Sofista

Ademais, observo que presentemente ocorre algo despropositado de que também tenho ouvido falar, com respeito aos homens do passado. Verifico que quando a cidade ataca um desses políticos suspeitos de malfeitorias, eles se mostram indignados e se queixam como se estivessem sendo horrivelmente maltratados. Prestaram à cidade serviços sem conta, é o que todos dizem, e agora ela o arruína injustamente. Porém tudo isso é falso; nunca nenhum governador de cidade foi perseguido injustamente pela própria cidade a que ele preside.

Fedro 277a-279b — Resumo e epílogo

SÓCRATES: - Já que nós concordamos nisto, caro Fedro, podemos agora decidir sobre o nosso assunto.

FEDRO: - Sobre o quê?

SÓCRATES: - Sobre o assunto que nos levou até a censura dirigida a Lísias em virtude de seus discursos escritos, o que por sua vez nos conduziu a classificar os discursos, distinguindo o que é artístico do que não o é. Pelo menos, parece, evidenciou-se suficientemente o que é artístico e o que não é.

FEDRO: - Com efeito. Mas não queres repetir tudo isso, em resumo?

Fedro 269c-274b — A verdadeira retórica

SÓCRATES: - A possibilidade, Fedro, de se tornar um bom atleta, apresenta-se provável e necessariamente, da mesma maneira. Se a eloquência for da tua natureza, serás um orador apreciado, com a condição de juntares a isso saber e exercício. Mas se uma dessas condições te faltar, hás de ser um orador imperfeito. E para a arte que corresponde a essa possibilidade, não creio que será no caminho de Lísias e de Trasímaco que o seu método há de aparecer.

FEDRO: - Mas então em que caminho?