theion

gr. theíon: divino. Tudo o que pode ser considerado como imortal se vê por Platão qualificado de "divino" ou chamado "deus". O divino abarca então não somente os deuses e os demônios tradicionais, mas também a espécie intelectiva da alma, que está presente na alma humana. (Luc Brisson)

Platão: Mitos da Alma

1. A origem da alma. — As almas, já o vimos, nasceram de uma separação da Alma do Todo que o demiurgo pôs no mundo (Timeu, 41 d). A alma é algo de quase divino, que existia antes mesmo do momento em que nos tornamos homens (Fédon, 95 c), por isso podemos dizer que o homem é uma «planta celeste» (Timeu, 90 a).

Fédon 80d-82c — Destino das almas após a morte

Pelo contrário; o que se dá é o seguinte: se ela é pura no momento de sua libertação e não arrastar consigo nada corpóreo, por isso mesmo que durante a vida nunca mantivera comércio voluntário com o corpo, porém sempre evitara, recolhida em si mesma e tendo sempre isso como preocupação exclusiva, que outra coisa não é senão filosofar, no rigoroso sentido da expressão, e preparar-se para morrer facilmente... Pois tudo isso não será um exercício para a morte?

Sem dúvida nenhuma.