hen

gr. = o um, o Uno. Em Plotino, seguindo o Parmênides de Platão, a causa de todas as causas: nada se pode atribuir ao Uno, sendo por definição não-predicável. Não se pode nem mesmo dizer que o Uno "é", pois assim se atribuiria a ele o ser e o predicado "existência". A mais perfeita substância divina, ao mesmo tempo perfeita transcendência, constante atualidade e poder infinto de produção. (Gandillac)

Mesquita: Teoria das Ideias

Ora, o ponto de vista platônico tem um nome e pode ser designado: uno e múltiplo. A perspectiva própria do pensamento platônico é, pois, a da relação, ou melhor, de uma certa relação, entre unidade e multiplicidade, que a lógica que tradicionalmente sobre ela incide, de matriz aristotélica, não pode apreender sem imediatamente alterar.

Filebo

Philebus ou Filebo

Sobre o prazer e o bem. Filebo vive uma vida de extremo hedonismo, desprovida de razão e pensar, que não sustenta qualquer conversa sobre ela e não se submete à reflexão. Tanto que no meio do diálogo Filebo se cala.

Os princípios da ética (como viver melhor) se conectam com princípios de metafísica e lógica exercendo demandas lógicas sob um apelo ético.

Thomas Taylor: Platão - o Uno

Submitted by mccastro on Sun, 09/12/2018 - 12:50

Plato, as we have before observed, denominated the one [hen], the ineffable, and the good [agathon], the common cause [aition] of all beings, and arranged it above all things; for he says that it is the cause of all things, but is no one of all things. On this account it is above being [onta], and is not being ; not as falling off from being, but as situated above all being. All secondary goods, therefore, are referred to it as the common good, and which is participated by all goods.

Thomas Taylor: Aristóteles critica a "ideia platônica"?

Submitted by mccastro on Sun, 09/12/2018 - 12:32

Nothing can show in a clearer point of view that Aristotle was not in reality hostile to the Platonic doctrine of ideas [eidos], than the objections which he adduces against the existence of good [agathon] considered as subsisting by itself, and the cause of all participated good. For the facility with which his objections may be answered, sufficiently proves what we have elsewhere observed, that his opposition to this doctrine of Plato is made by him with no other view than to guard it from being perverted by men of superficial understandings.