ergon

gr. érgon: trabalho, feito, produto, função. Aristóteles distingue as atividades que têm um produto exterior delas mesmas como seu fim, daquelas que não têm.

Eutidemo

Contra as falácias dialéticas dos sofistas.

Resumo de Jean Brun
No Eutidemo, em que Sócrates denuncia também a vaidade do saber enciclopédico dos sofistas, é-nos dito que, mesmo que existisse uma ciência capaz de tornar imortal, de nada serviria se não soubéssemos usar essa imortalidade. Precisamos, então, de um saber que ao mesmo tempo produza e saiba usar aquilo que produz (289 b).

REP I 352d-353e: A noção de obra própria

Voy a examinarlo repliqué. Pero dime: ¿el caballo tiene a lo parecer una operación propia?

Sí.

¿Considerarías como operación propia del caballo o de otro ser cualquiera aquella que sólo, o de mejor manera que por otros, pudiera hacerse por él?

No entiendo dijo.

Sea esto: ¿puedes ver con otra cosa que con los ojos?

No de cierto.

¿O acaso oír con algo distinto de los oídos?

De ningún modo.

¿No podríamos, pues, decir que ésas son operaciones propias de ellos?

Bien de cierto.

Fédon 82c-84b — O trabalho do filósofo

Não, por Zeus, retorquiu. Por isso mesmo, Cebete, todos os que cuidam da alma e não vivem simplesmente para o culto do corpo, dizem adeus a tudo isso e não seguem o caminho dos que não sabem para onde vão. Convencidos de que não devemos fazer nada em contrário à Filosofia nem ao que ela prescreve para libertar-nos e purificar-nos, voltam-se para esse lado, seguindo na direção por ela aconselhada.

De que modo, Sócrates?