Bréhier

Émile Bréhier (12 de abril de 1876, Bar-le-Duc - 3 de fevereiro de 1952, Paris) é um escritor e historiador francês.

Enéadas

Após a morte de Plotino, seu discípulo Porfírio ficou encarregado pelo próprio de organizar e publicar sua obra. Este trabalho, que Porfírio relata em sua biografia (Vida de Plotino - Vita Plotinis - veja tradução de Guthrie), que encabeça a obra, obedece, segundo Dominic O'Meara, a orientação da teoria literária antiga, que determina que se deve começar a apresentação de um pensador pela descrição de sua raça, seus pais e seu país natal.

A Academia

A ACADEMIA NO SÉCULO IV. DEPOIS DE PLATÃO
Excertos da tradução de História da Filosofia, de Émile Bréhier, por Eduardo Sucupira FIlho

Bréhier: Considerações na "República" de Platão

Excertos da tradução de História da Filosofia, de Émile Bréhier, por Eduardo Sucupira FIlho

O PROBLEMA POLÍTICO

É a partir desse momento que se vigoriza o pensamento político subordinado à moral e à psicologia. Mas não se encontra na situação da dialética, a qual não abandona o mundo das ideias, porém, ao contrário, se despedaça, incessantemente, contra os fatos. Platão, repetimos, quer ser, não um utopista, mas reformador. Como reformador, deve dar-se conta da natureza dos homens e das coisas, tais cbmo se apresentam.

Bréhier: COMUNICAÇÃO DAS IDEIAS

Excertos da tradução de História da Filosofia, de Émile Bréhier, por Eduardo Sucupira FIlho

O que, por seu turno, vai o Sofista demonstrar é a absoluta necessidade da hipótese. O diálogo tem por objeto as dificuldades suscitadas pela definição do sofista. Se dizemos, com efeito, que é aquele que não possui senão aparência de conhecimento (233 c), ele tergiversará, respondendo que o erro é impossível, dado que consistiria em pensar o não-ser. Ora, não é certo que o não-ser não é (236 e-237 a; 241 d)?