metaphora

gr. metaphorá

A metáfora é o transporte a uma coisa de um nome que designa uma outra, transporte ou de gênero à espécie, ou da espécie ao gênero, ou segundo a relação de analogia" (Aristóteles, Poética 1457 b6-9)

É por esta definição aristotélica que a metáfora entrou na especulação filosófica. Nota-se que o traço comum às quatro especies mencionadas por Aristóteles é a semelhança, e que as relações entre gêneros e espécies solicitam uma outra relação de inclusão, uma dupla oposição se esboça entre semelhança e não-semelhança, inclusão e exclusão (contiguidade), cujo cruzamento permite engendrar os tropos propriamente ditos: a) inclusão + semelhança = metáforas do gênero à espécie ou da espécie ao gênero; b) inclusão + não-semelhança = sinédoque; c) exclusão + semelhança = metáforas da espécie à espécie ou segundo a analogia; d) exclusão (contiguidade) + não-semelhança = metonímia. [Notions philosophiques]