Tratado 15 (III, 4) - Sobre o demônio que nos recebeu em partilha

Plotin Traités 7-21. Dir. Trad. Luc Brisson e Jean-François Pradeau. GF-Flammarion, 2003.


Neste tratado, Plotino prossegue o estudo da alma engajada nos tratados da Enéada II, se dedicando mais particularmente aqui à alma humana e a seu demônio (daimon). É da alma da qual é questão a princípio, neste tratado, e mesmo quando tratará do demônio examinará ainda, assim fazendo, questões escatológicas que não se reportam senão a uma espécie de alma determinada, a alma humana. O tratado se abre com efeito como um estudo da alma em geral, aquela das plantas assim como a dos homens, seu modo de geração e seus diferentes poderes; em seguida, se concentra sobre a alma humana, antes de passar enfim da questão geral das reencarnações ao tema do "demônio que nos recebeu em partilha". O tema dos demônios é então tratado no quadro de um estudo mais amplo da metempsicose, quer dizer no quadro da "psicologia", entendida como o estudo da alma.