Enéada V, 6 - Sobre o fato de que aquilo que é além do ser não se intelectualiza

Plotin Traités 22-26. Dir. Trad. Luc Brisson e Jean-François Pradeau. GF-Flammarion, 2004

Diferentes versões em [[nid:257]]

Plano detalhado do tratado.

Capítulo 1: O pensamento na alma e o pensamento no Intelecto
1-5: Distinção da intelecção de si e da intelecção de outra coisa
5-14: O que se intelige é ao mesmo tempo um e dois
15-24: Imagem da dupla luz que ilustra o pensamento na alma e o pensamento no Intelecto

Capítulo 2: O Primeiro não intelige
1-7: Toda intelecção requer a distinção entre um Intelecto e um inteligível. O primeiro princípio não intelige portanto
7-13: O pensamento no Intelecto supõe que existe uma realidade puramente inteligível que não pensa
13-17: O Bem não tem necessidade da intelecção para ser perfeito
17-20: Se o Bem pensasse ele seria múltiplo

Capítulo 3: Necessidade de postular uma unidade simples e separada
1-15: Distinção de diferentes formas de unidade
15-23: O composto não pode existir sem o simples

Capítulo 4: As imagens do número e da luz como ilustrações da superioridade do Bem
1-7: O Bem é sem necessidade. O intelecto é o que "toma forma" do Bem
8-15: Imagem do número
16-24: Imagem da luz que ilustra a hierarquia dos princípios

Capítulo 5: Relações da intelecção do ser e do desejo do Bem
1-8: A intelecção não é primeira
8-18: Primazia do desejo do Bem sobre a intelecção de si

Capítulo 6: O Bem é além da dualidade entre a realidade e a intelecção.
1-11: A atividade do Bem não é uma intelecção
11-28: Toda realidade inteligível se dissocia entre o ser e a intelecção do ser
28-36: O Bem é portanto ao mesmo tempo além da realidade e além da intelecção