hemeis

gr. = "nós". Para Plotino, o hemeis não é nem o eu empírico, encarnado, nem o si mesmo essencial, separado; ele é a passagem de uma a outro. (Aubry)