autos

A primeira palavra de Equécrates, no Fédon, é autós, e também é a primeira palavra dita por Fédon. A que identificar este "si mesmo"? Ao corpo, à alma, à união dos dois?

Si Mesmo

Brisson & Pradeau (2002 p.127) traduz em geral autos por si mesmo, conforme é empregado por Plotino de maneira substantivada, como o tinha feito Platão no Alcibíades quando ele se perguntava o que é justamente o "si-mesmo" quando se buscava obedecer a injunção a se "conhecer a si mesmo". O si mesmo no homem, é a alma. Plotino enumera aqui duas possíveis definições da relação da alma e do corpo.

Aubry: Conhecer-se a si mesmo

Segundo Aubry (2004, p. 19-22), O desafio do Tratado-53 reside na identificação deste "ti-mesmo" que o preceito délfico propõe, ou impõe, como objeto de elucidação. Ora, este "ti-mesmo" a conversão à interioridade não basta para desvelá-lo. De fato, ela não nos dá então acesso senão ao mim-mesmo sensível, empírico, ao sujeito apaixonado. O tratado se abre assim sobre um litania das paixões (Eneada-I, 1, 1). Eis aí os dados imediatos da consciência, o que, do sujeito, se revela de pronto.

autos

autós / autos: si mesmo, em si, próprio. Reflexivo: hautós / hautos.

Gramaticalmente, autos significa ao mesmo tempo eu mesmo, si mesmo, a própria coisa, próprio (latim: ipse); o mesmo, a mesma coisa: tò autó / to auto (neutro) (latim: idem). Platão o emprega em sentido de substância: o em-si; Aristóteles, no sentido de idêntico: o mesmo que si.

Dos pontos de vista lógico e metafísico, autos tem parentesco com hómoios / homoios: semelhante.

Opõe-se a:

- o outro: héteros / heteros

- um outro: állos / allos

- diferente: diáphoros / diaphoros

Filebo

Philebus ou Filebo

Sobre o prazer e o bem. Filebo vive uma vida de extremo hedonismo, desprovida de razão e pensar, que não sustenta qualquer conversa sobre ela e não se submete à reflexão. Tanto que no meio do diálogo Filebo se cala.

Os princípios da ética (como viver melhor) se conectam com princípios de metafísica e lógica exercendo demandas lógicas sob um apelo ético.

Chambry: Hippias Mineur 368a-369a – Hippias cientista e técnico enciclopédico

SOCRATE: X. — Allons, Hippias, fais ainsi à loisir la revue de toutes les sciences et vois s’il n’en est pas de même pour toutes. Tu es certainement l’homme le plus habile du monde dans la plupart des arts. Ne t’ai-je pas entendu autrefois t’en vanter, en énumérant tes multiples et enviables talents sur l’agora devant les comptoirs des banquiers ?