Gobry

Ivan Gobry, Le vocabulaire grec de la philosophie. Les Éditions Ellipses, Paris. Trad. em português: Ivone C. Benedetti, Martins Fontes.

Gobry: arete

arete: virtude. Latim: virtus.

Esse termo, como em latim virtus, possui duplo sentido: físico e moral. Por isso, para certos etimologistas, deriva de áres que, quando nome próprio, designa o deus da guerra (o Marte dos latinos) e, quando substantivo comum, significa combate e coragem. Da raiz ar- tem-se áristos: valente, valoroso, mas também ársen: varão, viril, donde, forte, corajoso; e, provavelmente, árkho, comandar, deter o poder; e arô: semear, fecundar (donde: instrumentos aratórios). A virtude, portanto, no sentido moral é força da alma tendente ao bem.

Gobry: hen

hén (tó) / hen, o Uno. Latim: Unum.

Esse termo é o neutro do adjetivo numeral heis / heis (feminino mia / mia). Substantivado, pode ter dois sentidos:

- o Único, a Realidade que se apodera do ser e não tolera outra;

- o Todo (pân, hólon), a Realidade que reúne tudo em si. Para Aristóteles, a palavra hén teria quatro sentidos: contínuo, unidade-forma, unidade-indivíduo, unidade-universalidade (Met., I [iota], 1).

Encontram-se nesses quatro sentidos quatro noções:

- O contínuo = noção geométrica (a unidade da linha opõe-se à descontinuidade do número).

Gobry: holon

hólon (tó) / holon, Universo. Latim: Universum.

O conjunto, a totalidade, v. pân, kósmos.

Aristóteles dedica uma nota a esse termo no livro A da Metafísica (n? 26). O hólon é aquilo que constitui a unidade (hén) das coisas. Faz isso de duas maneiras diferentes: ou essas coisas já têm uma unidade, e o todo está então como o gênero para as espécies, ou elas não têm unidade, e é sua reunião que forma um todo, como no organismo humano.

stasis

stásis (he) / stasis (he): repouso.

Derivado do verbo hístemi / histemi: ponho, coloco. Esse termo indica imobilidade, permanência, continuidade. Opõe-se a kínesis / kinesis, movimento.

Metafisicamente, stásis / stasis marca a permanência daquilo que é eterno, ao contrário da mudança própria àquilo que é temporal. Contudo, não é o único termo que os filósofos opõem a kínesis / kinesis. Encontram-se:

- Entre os pitagóricos: tò eremoûn / to eremoun (Aristóteles, Met., A, 5).

- Em Parmênides: xynekhés / xynekhes (arcaico) e akíneton / akineton (fi.VIII, 25, 26).

Gobry: arche

arkhé (he) / arche: princípio. Latim: principium.

Causa original, Realidade primeira da qual procedem as outras no universo. Essa palavra pode ter dois sentidos:

- cosmológico: o Princípio é então um corpo material (pré-socráticos);

- metafísico: o princípio é então uma Realidade impessoal, que pode assumir o nome de Mónada (Pitágoras), de Uno (Parmênides, Plotino), de Essência (Platão).

Gobry: dynamis

dynamis (he) / dynamis: potência, capacidade. Latim: potentia.

Do verbo dynamai: posso, sou capaz. Propriedade daquilo que, mesmo sendo atualmente passivo, pode:

- passar à ação; ou

- receber a ação de um agente.

Definição do Ser segundo Platão: "Aquilo que tem a potência de agir (poiein) sobre outro ou de sofrer a sua ação" (páskhein / paskhein) (Sofista, 247d-e).

Quatro sentidos:

- capacidade, propriedade, "virtude" (no sentido medieval: virtude dormitiva de certas plantas);

- faculdade mental;

Gobry: noesis

nóesis (he) / noesis: pensamento, noese. Latim: intellectus.

Esse termo designa, mais precisamente, a razão intuitiva, aquela que contempla diretamente o inteligível, o noetón / noeton.

Antes do sistema platônico, esse termo designa o pensamento em geral. Em Parmênides (fr. 2), o pensamento do Ser e do não-ser; no materialismo de Diógenes de Apolônia, a inteligência em geral, mantida pelo ar que respiramos.

Gobry: pathos

páthos (tó): paixão. Latim: passio, affectio, perturbatio. Plural: páthe (tá) / pathe (ta).

Esse termo tem dois sentidos:

- Metafísico. É o contrário de ação ou, mais precisamente, não o sujeito que pratica a ação, mas o objeto que a recebe.

- Psicológico. É o fato de sofrer, de ser coagido e movido por uma força interior que escapa à vontade. Por isso, páthos é também sofrimento, dor, tristeza; o termo páthe / pathe (aqui fem. sing.) tem exclusivamente esse sentido.

antikeimenos

antikeímenos: oposto. Plural: antikeímena (antikeimena), neutro substantivado.

De keímenos, particípio do verbo keimai: sou posto, e anti, em face. Os opostos constituem uma categoria lógica estudada por Aristóteles nas Categorias (X) e na Metafísica (A, 10). Distingue quatro espécies: os relativos (prós ti), como duplo e metade; os contrários (enantía), como mal e bem; a privação (stéresis) e posse (héxis), como cegueira e visão; a afirmação (katáphasis) e negação (apóphasis).

Gobry: doxa

dóxa (he) / doxa: opinião. Latim: opinio.

A opinião é um conhecimento relativo, tanto em termos de objeto, que está submetido ao devir e à ilusão, quanto em termos de sujeito, que não tem certeza integral sobre ela. Opõe-se a ciência (epistéme). v. essa palavra.