República VI

Sexta parte da República tratando da matemática, das ideias, da virtude, da causa.

República VI

2 As razões da má reputação dos filósofos (VI, [[Rep6:488a]]-[[Rep6:497a]])

  • Os verdadeiros filósofos não são inúteis; é o Estado que não os utiliza

    A maior parte dos filósofos naturais são pervertidos pelo meio e sua educação, pela opinião da multidão enganada pelos "sofistas" que usurpam o nome de "filósofos"

    É impossível que o povo seja filósofo e necessário, nos Estados existentes, que ele critique as naturezas filosóficas até perverte-las. Nenhuma Estado é adaptado à filosofia, nenhuma filosofia é adaptada à vida política

República: Parte II (L4, L5-L7) — Condições para realizar a justiça assim definida

  • Parte II (L4, L5-L7): Condições para realizar a justiça assim definida
    • A) Primeira condição: Igualdade dos homens e das mulheres (V [[Rep5:451c]]-[[Rep5:457c]])
      • Esta igualdade concerne tanto as funções públicas quanto a educação pois a diferença sexual não implica nenhuma diferença de atitude.

        As mulheres poderão ser Guardiães, guerreiras, filósofas