Anaxágoras

Anaxágoras de Clazômenas (500-428 AC). Filósofo da Ásia Menor (nascido em Clazomenas), considerado o fundador da escola filosófica de . Amigo e partidário de Péricles, foi acusado de impiedade e de ateísmo por seus inimigos, pois se recusava a prestar culto aos deuses nacionais. Banido de Atenas em 434 a.C., morreu em Lâmpsaco.

Bouillet: Traité 12 (II, 4) - DE LA MATIÈRE

(§ I) Les philosophes s’accordent à définir la matière la substance, le sujet, le réceptacle des formes. Mais les uns [les Stoïciens] regardent la matière comme un corps sans qualité ; les autres [les Pythagoriciens, les Platoniciens, les Péripatéticiens] la croient incorporelle ; quelques-uns de ces derniers en distinguent deux espèces, la substance des corps ou matière sensible, et la substance des formes incorporelles ou matière intelligible.

Anaxágoras — Fragmento 2

2. O ar e o éter separaram-se da multiplicidade que os envolvia; e este invólucro é um infinito em quantidade.


2 - Pois o ar e o éter separam-se da multiplicidade circundante, e este circundante é ilimitado em quantidade. (Gerd Bornheim)


...pois ar e éter se separam do muito circundante, e o circundante é infinito
em quantidade. (Trad. de Maria C. M. Cavalcante)

Anaxágoras — Fragmento 1

1. (No princípio) todas as coisas eram juntas, infinitas em número e infinitas em pequenez. Pois também a pequenez era infinita. E enquanto as coisas juntas permaneciam, nenhuma era claramente reconhecível, de diminuta que era. Pois o ar e o éter, os mais poderosos (mégista) constituintes do todo, quer em número, quer em extensão. (Eudoro de Sousa)

Anaxágoras: sentido e alcance de sua filosofia

O problema essencial que se coloca ao comentador consiste em saber o que deve entender-se por este Espírito, que Anaxágoras põe no centro de todas as suas explicações.

A dar crédito a Platão, este Espírito não passaria de uma espécie de Deus ex machina sem muita consistência, e Sócrates diz-nos quanto a leitura de Anaxágoras, em que tinha depositado muitas esperanças, o tinha profundamente decepcionado (cf. Fédon, 97 c). Aristóteles vê igualmente no Espírito de Anaxágoras o que ele invoca quando está embaraçado para explicar a produção de um fenômeno (Metaf., I 3, 985 a 17).

Anaxágoras: Homem

No livro Das Partes dos Animais (IV, 10, 687 a 7) Aristóteles permitiu-nos conhecer uma ideia de Anaxágoras, a que aliás se opõe:

«Anaxágoras pretende que é porque tem mãos que o homem é o mais inteligente dos animais.» Aristóteles acrescenta: «É mais racional dizer que tem mãos porque é o mais inteligente. Porque a mão é um utensílio: ora, a natureza atribui sempre, como faria um homem avisado, cada órgão ao que é capaz de se servir dele.»