Zenão de Eleia

Zenão de Eleia (séc.V a.C.) Filósofo grego da escola eleática; foi discípulo de Parmênides e notabilizou-se sobretudo por seus paradoxos acerca do tempo, com os quais pretendeu refutar o mobilismo e o pitagorismo, demonstrando a incoerência do pluralismo e da noção de movimento, através do método de redução ao absurdo.

Zenão de Eleia

Nascido por volta de 489, Zenão deve ter atingido o florescimento em 460. Desempenhou provavelmente papel político de relevo na sua cidade, pois lutou contra o tirano Nearco. Teria escrito um Tratado da Natureza, algumas Disputas e uma Interpretação de Empédocles, que devia oonstituir uma diatribe contra o filósofo de Agrigento. Platão cita Zenão no Parmênides e no Fedro (261 d).

Enéada III, 7: Comentários de Guthrie

Tradução de Guthrie

Plano detalhado do tratado

A. Eternidade
Capítulo 1: Introdução. Eternidade existe perpetuamente, enquanto tempo se torna
Eternidade é o modelo de sua imagem, tempo

Capítulo 2: Relação entre éon e ser inteligível
Falhas da definição que a eternidade está em repouso, enquanto tempo está em movimento

Capítulo 3: Eternidade como uma união de cinco categorias
A vida da inteligência é sempre contemporânea

MacKenna: Tractate 45,7 (III,7,7) — O que é o tempo? (Introdução)

Eneada-III, 7, 7

7. Now comes the question whether, in all this discussion, we are not merely helping to make out a case for some other order of Beings and talking of matters alien to ourselves.

But how could that be? What understanding can there be failing some point of contact? And what contact could there be with the utterly alien?

We must then have, ourselves, some part or share in Eternity.

Still, how is this possible to us who exist in Time?