Fedro

Para Brisson, o Fedro é um diálogo platônico tão diversificado em seu fundo (temas do amor, da alma, da retórica, da escritura) como na sua forma (diá , discursos, descrições, mitos, orações) e tão trabalhado, que um dos problemas maiores que levanta é precisamente àquele da sua unidade. Problema insolúvel se não nos damos conta ao mesmo tempo do aspecto dramático e do aspecto doutrinal que, no Fedro, mais que em qualquer outro diálogo, são indissociáveis.

Enéada III, 2, 13 — A justiça do universo se manifesta através do ciclo das vidas

13- No debemos, con todo, desdeñar ese argumento que nos pide miremos a cada ser, no en su situación presente, sino en los períodos anteriores y en su futuro, de modo que establezcamos lo que es justo para cada uno; y así, puede explicarse el cambio en esclavos de los que antes eran señores, si realmente fueron malos señores, porque esto será, al fin, provechoso para ellos mismos, al igual que los que usaron mal de las riquezas se convertirán en pobres, porque el ser pobre no resulta perjudicial para los buenos.

Tratado 22 (VI, 4) - Sobre a razão pela qual o ser, uno e idêntico, é por toda parte inteiro

Plotin Traités 22-26. Dir. Trad. Luc Brisson e Jean-François Pradeau. GF-Flammarion, 2004


Os tratados 22 e 23 formavam originalmente um único tratado expondo a teoria platônica da participação do sensível no inteligível.
A seguir versões em inglês, francês e espanhol do tratado. Para uma apresentação mais detalhada do tratado, por parágrafo ou capítulo, com comentários visite Eneada-VI-4.