Máximo de Tiro

Foi um autor (século I dC) de inúmeras dialexeis curtas (preleções) sobre questões de ética, física, teologia e epistemologia com tendências platonizantes. [SCHÄFER]

agnostos

ágnôstos: desconhecido, não cognoscível

1. Devido à transcendência de Deus surgem alguns problemas acerca da possibilidade de este ser um objeto de conhecimento. Um agnosticismo simples é defendido por Protágoras (Diels, frg. 80B 4) onde a questão se subdivide em duas: a de saber se os deuses existem e a de qual é a sua natureza; o problema da agnosia trata, mais propriamente, do último aspecto (sobre a questão da sua existência, cf. theos).

Máximo de Tiro

Máximo de Tiro (h.153-180).—Es un ejemplar de filósofo moralista. Viajó mucho pronunciando discursos (dialexeis), de los que se conservan 41, recogidos quizá por algún discípulo. Su fondo es platónico, pero combinado con elementos estoicos y cínicos. Prescinde de cuestiones lógicas y cosmológicas, ocupándose tan sólo de religión y de moral. Hay un Dios, trascendente e inaccesible, que gobierna directamente el mundo superior de los astros.