Pitágoras

Séc. VI a.C., foi o fundador da escola de pensamento que leva o seu nome. De suas teorias parece indubitavelmente atestada a da transmigração das almas, mas sua abrangente doutrina, o misticismo numérico e seu significado para a teoria musical e matemática gregas permanecem incertos e controversos. [SCHÄFER]

Guthrie: Tractate 38 (VI, 7) - HOW IDEAS MULTIPLIED, AND THE GOOD

A. HOW IDEAS MULTIPLY.

1. The eyes were implanted in man by divine foresight.

Senses not given to man because of experience of misfortunes.

Nor because of god's foresight of these misfortunes.

Foresight of creation is not the result of reasoning.

Both reasoning and foresight are only figurative expressions.

In god all things were simultaneous, though when realized they developed.

2. In the intelligible, everything possesses its reason as well as its form.

Intelligence contains the cause of all its forms.

Consonância e Simpatia

Aritmética e música, número e harmonia são inseparáveis uns dos outros e neles se encontra a chave da verdadeira compreensão do concerto do mundo. Nascida de simpatias, a música engendra as consonâncias que, transcendendo os intervalos que separam os indivíduos uns dos outros, lhes permitem ressoar entre si e simbolizar com o que os cerca, em relação aos quais são como uma nota na escala. O número exprime, pois, as relações do Tempo e dos tempos, do Espaço e dos espaços, do Corpo e dos corpos; traduz a divisão dão Unidade e os diferentes andamentos dos itinerários que reconduzem à Fonte.

Música e Astronomia

Quando Platão diz da música e da astronomia que são duas ciências irmãs (República, VII, 530 d), fala como alguém para quem a doutrina de Pitágoras não devia guardar muitos segredos. Eis uma passagem de Tião de Esmima que nos permite compreender o que deve entender-se por «harmonia das esferas celestes»; «Relativamente à posição e à ordem das esferas ou dos círculos em que se transportam os planetas, eis a opinião de certos Pitagóricos.

Eudoro de Sousa: Xenófanes e Pitágoras

Não nos move, nem de leve, o intuito de escrever uma história, ainda que parcelar, da filosofia grega. Mas, a fim de restabelecer o paralelismo (ou, talvez, a convergência) da codificação mítica e da codificação lógica do mistério do horizonte, que, vê-lo-emos em breve, Parmênides revelou o quanto pôde, há pelo menos dois nomes que não devem ser omitidos, se quisermos evitar o maior número de parênteses incômodos ou de veladas alusões: Xenófanes e Pitágoras.

Tratado 10 (V, 1) - Sobre as três hipóstases que têm nível de princípios

Segundo a ordem cronológica apresentada por Porfírio, o tratado 10 segue imediatamente o Tratado-9, do qual entende continuar o exame. Com efeito se o Uno é a realidade maravilhosa e toda-poderosa que descreveu o Tratado-9, e que a Alma dele provém, porque esta última se afastou de tal fonte? E, assim se afastando de seu princípio para alcançar até o sensível, como se dá que ela aí permaneça?