Lógica e Linguagem

Segundo Sorabji (2005 v3 p.25) destaca-se o esquema de categorias e a questão dos universais e dos particulares, na Lógica. Para Schäfer (2012 p.195-196), no centro das primeiras reflexões gregas sobre a linguagem, especialmente a filosofia da linguagem platônica, está a palavra « », que nesse contexto refere-se ao pensamento e à fala humanos e sua relação. Um significado terminológico limítrofe se encontra nas palavras "glossa", "lexis", " ", "stoma" e "dialektos". [SCHÄFER]

Peters: genesis (Sócrates-Platão)

9. Que a genesis se tornara o problema central da filosofia pós-parmenidiana é evidente pelas observações de Sócrates no Fédon [[Fedon:96a|96a]], problema que, como o mesmo passo indica, estava a ser tratado em termos de uma procura pelas causas (aitia) e intrigara o jovem Sócrates. Para o próprio Platão a genesis é um problema um tanto secundário à luz da distinção que ele faz entre os eide; o reino do verdadeiro ser (ontos on), e este mundo sensível que é caraterizado pelo devir (Timeu [[Tim:27d|27d-28a]]).

Taylor: doxa

DOXASTIC. This word is derived from doxa, opinion, and signifies that which is apprehended by opinion, or that power which is the extremity of the rational soul. This power knows the universal in particulars, as that every man is a rational animal; but it knows not the dioti, or why a thing is, but only the oti, or that it is.

Definições

As Definições atribuídas a Platão são uma coletânea de 185 termos filosóficos dispostos em sucessão, sem ordem explícita, comportando uma ou várias explicações. Como estas definições não estão escritas em prosa literária e como não estão dispostas seguindo um plano preciso, pode-se pensar que a coletânea que nos chegou conheceu flutuações no curso dos séculos. O fato que algumas definições aparecem em certos manuscritos e não em outros dá peso a esta hipótese.

Linguagem

Submitted by mccastro on Wed, 02/05/2012 - 20:48

No interior do pensamento pré-socrático, a linguagem se torna um objeto de interesse explícito para os sofistas. Nós os conhecemos através do seu adversário Platão, o que não favorece a compreensão de suas doutrinas. O movimento sofista abarcou assuntos bastante diferentes, de uma atitude geral diante da educação e da retórica até teses metafísicas ultra-relativistas, e especulações de filosofia política sobre a natureza do poder. Além disso, suas teses só foram conservadas sob forma de fragmentos.