logos

gr. lógos = discurso, relato, razão, definição, faculdade racional, proporção, verbo, palavra. Latim: ratio. Razão, faculdade intelectual do homem, considerada como seu caráter específico; e todas as formas de sua atividade. O primeiro sentido de lógos (do verbo légein, falar) é fala, linguagem. Ora, a linguagem é a expressão do pensamento. O gr. é também palavra, expressão vocal.

Doxa-Logos

No médio-platonismo, doxa foi requerida como suplementar à percepção dos sentidos, mas Proclo vai além e faz doxa e logos penetra a percepção. Em seu comentário ao Timeu (1 251, 16-17) doxa é percepção racionalizada (logike).

Filopono concede que um cão reconheça seu mestre sem percebê-lo como uma substância, que iriam requerer doxa, de acordo com Proclo. Ao contrário, o cão requer somente impressões em sua imaginação, e Filopono reconhece a importância de um apego emocional em reconhecimento.

Imortalidade da Alma

A tendência comum é representar a imortalidade da alma como sua perenidade face a morte do corpo. Entretanto é possível pensar a imortalidade como o permanente sob a impermanência geral. Pensamentos têm início e fim, limites, são passageiros; sensações têm início e fim, limites, são passageiras; percepções têm início e fim, limites, são passageiras. Algo, no entanto, permanece contínuo, justamente sob a passagem dos pensamento, sensações e percepções. Algo não tem início e fim, e limites, junto com os pensamentos, sensações e percepções que passam.

Guthrie: Tractate 38,4 (VI, 7, 4) - SUCH QUESTIONS DEMAND SCRUTINY OF THE INTELLIGIBLE MAN

SUCH QUESTIONS DEMAND SCRUTINY OF THE INTELLIGIBLE MAN.

4. To answer these questions, we would have to go back to the nature of the intelligible Man. Before defining the latter, however, it would indeed be far better to begin by determining the nature of the sense-man, on the supposition that we know the latter very well, while perhaps of the former, we have only a very inexact notion.

DIFFERENCE BETWEEN THE MAN KNOWN BY THE SENSES AND THE INTELLIGIBLE MAN.