horos

gr. hóros ou horismós: limite, definição. Metafísica: a definição corresponde à quididade (tò tí ên einai) (Met., Z, 4, 10, 12). Lógica: a definição de um ser se faz por suas causas (Aristóteles, Anal. Post., II, 9). É um predicável; exprime a essência de um sujeito (id. Tóp., I, 5).

metron

Helios não ultrapassará as medidas (metra). Ou então as Eríneas, ajudantes de Justiça (Dike), certamente o encontrarão.

Definições

As Definições atribuídas a Platão são uma coletânea de 185 termos filosóficos dispostos em sucessão, sem ordem explícita, comportando uma ou várias explicações. Como estas definições não estão escritas em prosa literária e como não estão dispostas seguindo um plano preciso, pode-se pensar que a coletânea que nos chegou conheceu flutuações no curso dos séculos. O fato que algumas definições aparecem em certos manuscritos e não em outros dá peso a esta hipótese.

ti esti

ti ésti: o que é? aquilo que é, essência

Aquilo que responde à questão de «o que é?» por revelação da essência (ousia) da coisa, i. é, por definição (horos) através do genos e diaphora (Aristóteles, Top. VIII, 153a); ver ousia. [Termos Filosóficos Gregos, F. E. Peters]

horos

hóros ou horismós: limite, definição A contribuição socrática para a filosofia foi a indução (epagoge) e a definição, e estas surgiram no contexto da ética (Aristóteles, Metafísica 1078b). A verdadeira definição foi impossível segundo os cínicos (Aristóteles, Metafísica 1043b; Platão, Teeteto 201c). As definições são o ponto de partida da demonstração (Aristóteles, Anal. post. II, 90b).

Fedro

Phaedrus ou Fedro

Sobre o amor e a beleza. Belo compêndio de toda a filosofia platônica.

Segundo Luc Brisson, em sua a introdução à tradução anotada que fez do Fedro, os temas maiores desta obra são: "como falar, porque escrever?".

Mênon

Sobre se a virtude pode ser ensinada. Conclusão negativa, contrária à tese de Sócrates. Insuficiência da razão discursiva, que deve apoiar-se na experiência e completar-se com a intuição. Aparecem os primeiros elementos pitagóricos, a preexistência das almas e a reminiscência. Mas isto talvez atrase um pouco a redação deste diálogo, como com o do Górgias. Segundo alguns autores, marca a crise, o momento que Platão se dá conta que seus problemas transcendem os limites em que pensou e viveu Sócrates.