arche

gr. arkhé (he): princípio. Latim: principium. Causa original, Realidade primeira da qual procedem as outras no universo.

Taylor: Ciência

SCIENCE. This word is sometimes defined by Plato to be that which assigns the causes of things; sometimes to be that the subjects of which have a perfectly stable essence; and together with this, he conjoins the assignation of cause from reasoning. Sometimes again he defines it to be that the principles of which are not hypotheses; and, according to this definition, he asserts that there is one science which ascends as far as to the principle of things.

Peters: genesis (Aristóteles)

12. Tudo isto é, porém, a genesis pré-cósmica, a situação «antes que ouranos se formasse» (ibid. [[Tim:52d|52d]]). As qualidades, juntamente com os seus «poderes» associados (dynameis; ver pathos, paschein), andam à deriva no Receptáculo de maneira caótica (ibid. [[Tim:52d|52d-53a]]). Mas então o nons começa a sua ação e põe ordem no caos ao transformar as qualidades primárias da terra, ar, fogo e água nos quatro corpos primários do mundo sensível (ibid.

Ato-Potência e Princípios

Segundo Brisson & Pradeau (2002 p.135), Aristóteles já se questiona no livro B da Metafísica se os primeiros princípios são em ato ou em potência. Se fossem em potência, seria preciso supôr que ainda existe, antes deles, um princípio que seja em ato, e que precisamente os atualize (posto que uma potência não ser atualizada senão por um ato anterior, como Aristóteles explica na Metafísica Theta, 8).

Bouillet: Traité 9 (VI, 9) - DU BIEN ET DE L'UN

(I-II) C'est par leur unité que les êtres sont ce que comporte leur essence. Ils participent plus ou moins de l'unité selon qu'ils participent plus ou moins de l'être. Ainsi l'âme possède un plus haut degré d'unité que le corps; cependant elle n'est pas l'Un absolu, parce que l'unité de son être renferme une pluralité d'éléments. L'Être universel et l'Intelligence ne sont pas non plus l'Un absolu pour la même raison.

Bouillet: Traité 7 (V, 4) - COMMENT PROCÈDE DU PREMIER CE QUI EST APRÈS LUI. DE L'UN.

(I) Au-dessus de toutes choses existe un principe suprême, appelé l'Un, parce qu'il est souverainement simple, et le Premier, parce qu'il est souverainement absolu.

Au-dessous de lui est l'Intelligence, qui constitue l'Un-multiple. Le Premier principe l'engendre parce qu'il est la puissance première, et que c'est une loi universelle que tout ce qui est parfait engendre pour faire part de lui-même à ce qui est inférieur.

Anaxágoras — Fragmento 1

1. (No princípio) todas as coisas eram juntas, infinitas em número e infinitas em pequenez. Pois também a pequenez era infinita. E enquanto as coisas juntas permaneciam, nenhuma era claramente reconhecível, de diminuta que era. Pois o ar e o éter, os mais poderosos (mégista) constituintes do todo, quer em número, quer em extensão. (Eudoro de Sousa)

Eudoro de Sousa: SOBRE A TRADUÇÃO DE ÁPEIRON POR «INDIFERENCIADO»

Cremos que nem tão grande tenha sido a alteração semântica da palavra que invalide a interpretação de Cleve (The Giants of pre-sophistic Greek Philosophy, II, 352-353) da mesma palavra no frg. 28 de Empédocles: «The only meaningful interpretation of pampan apeíron is here 'completely without limitations, withouth any borders' — inside the Sphairos: if that bali were stratified into land, sea, air, and sky, then it have borders, within itsefl. But this sphere is completely without borders, without peírata, which is to say, it is completely homogeneous.

Fragmento de Anaximandro em Simplício, Phys., 24,13

Simplício, Phys., 24,13

Dos que admitem um só princípio movente e indiferenciado, Anaximandro... diz que o indiferenciado é o elemento e o princípio primordial, tendo sido ele o primeiro que introduziu a palavra I arkhe? ápeiron? I. ? afirma que não é este princípio a água ou qualquer outro dos que nós denominamos «elementos», mas certa natureza indiferenciada, diferente (dos elementos), da qual teriam nascido todos os céus e todos os cosmos neles contido: