apodeixis

gr. apódeixis: ação de evidenciar, demonstração, prova. Lógica. Silogismo científico, que deve partir de premissas verdadeiras (Aristóteles, Anal. Post., II, 1).

apodeixis

apódeixis: ação de evidenciar, demonstração, prova

Na metodologia técnica aristotélica apodeixis é uma demonstração silogística que, se as premissas forem verdadeiras e essenciais, conduzirá à episteme (Aristóteles, Anal. post. I, 71b-72a). Os indivíduos não estão sujeitos a definição e, por isso, são indemonstráveis (Aristóteles, Metafísica 1039b); ver dialektike, katholou. [Termos Filosóficos Gregos, F. E. Peters]

Apologia de Sócrates

Escrita ao regressar Platão de sua viagem ao Egito. Reproduz a defesa de Sócrates diante de seus juízes. Não se ajusta rigorosamente às acusações apresentadas diante do tribunal, mas tem, certamente, valor histórico, pois na data de sua composição viviam todos ou grande parte dos que haviam presenciado o processo.

Górgias 449c-455a — O que é a retórica? A começar pelo que não é.

Sócrates — Então, comecemos. Já que te apresentas como entendido na arte da retórica e também como capaz de formar oradores: em que consiste particularmente a arte da retórica? Assim, por exemplo, a arte do tecelão se ocupa com o preparo das roupas, não é verdade?

Górgias — Sim.

Sócrates — E a música, com a composição do canto?

Górgias — Sim.

Sócrates — Por Hera, Górgias! Tuas respostas me agradam; mais concisas não poderiam ser.

Górgias — Eu também, Sócrates, acho que estou respondendo como é preciso.

Górgias 449a-457c — Inicia o debate entre Sócrates e Górgias

Sócrates — Respondeste; mas ninguém te interpelou sobre o valor da arte de Górgias, porém qual seja ela e que nome, por isso, devemos dar a Górgias. Assim como respondeste antes a Querefonte, com clareza e concisão quando ele se dirigiu a ti, declara-nos agora qual é a arte de Górgias e que nome devemos dar a este. Mas é preferível, Górgias, que tu mesmo fales. Por que modo deves ser designado, como profissional de que arte?

Górgias — De retórica, Sócrates.

Sócrates — Então, teremos de dar-te o nome de orador?