stoicheion

gr. stoicheíon: letra do alfabeto, corpo primário, elemento; stoikheîa (tá): elementos. Latim: elemento. Componentes simples do mundo sensível. E o plural da palavra neutra tò stoikheíon, raramente empregada sozinha, pois o real se apresenta como uma coabitação dos elementos simples que o compõem. Aristóteles define o elemento como: "Um primeiro componente de um ser, que lhe é imanente e é indivisível em outras espécies" (Met., A, 3).

Peters: genesis (Aristóteles)

12. Tudo isto é, porém, a genesis pré-cósmica, a situação «antes que ouranos se formasse» (ibid. [[Tim:52d|52d]]). As qualidades, juntamente com os seus «poderes» associados (dynameis; ver pathos, paschein), andam à deriva no Receptáculo de maneira caótica (ibid. [[Tim:52d|52d-53a]]). Mas então o nons começa a sua ação e põe ordem no caos ao transformar as qualidades primárias da terra, ar, fogo e água nos quatro corpos primários do mundo sensível (ibid.

Bouillet: Traité 40 (II, 1) - DU CIEL

(§ I-II) Le monde, être corporel, a toujours existé et existera toujours. Chez les animaux, l’espèce seule est perpétuelle, tandis que les individus meurent ; le monde, au contraire, possède à la fois la perpétuité de la forme spécifique et celle de l’individualité. C’est qu’il joint à une Âme parfaite un corps que sa constitution naturelle rend apte à l’immortalité.

Elementos

Submitted by mccastro on Fri, 06/03/2015 - 21:46

Na história da filosofia, este termo teve quatro sentidos fundamentais: 1) como compêndio de uma série de vocábulos usados por filósofos para designar as entidades últimas que, a seu ver, constituem a realidade e, em particular, a realidade material, por exemplo, átomos, corpúsculos, partes mínimas, sementes, razões seminais, espermas, etc.. O número e qualidade dos elementos considerados como "partes constitutivas" das realidades variaram muito. Muitos pré-socráticos falaram de um só elemento (a água, o indefinido, o ar). Parmênides considerou os elementos como formas.

Brun: Empédocles

Várias ações extraordinárias eram atribuídas à sabedoria e poder de Empédocles. Reconhecera que uma epidemia de peste, que assolava a cidade de Selinonte, provinha das emanações insalubres de água próximas da cidade. Empédocles pagou do seu bolso os trabalhos necessários para desviar o curso de rios próximos, que, com as suas correntes, purificaram os locais e arrastaram os miasmas pestilenciais. Transbordando de reconhecimento, os habitantes de Selinonte honraram-no como a um deus.

Empédeclos — Quatro Elementos

Empédocles qualifica de «raízes» das coisas (rizomata panton; fgt. 6) os outros elementos fundamentais, que, segundo Aristóteles, é o primeiro a distinguir (31 A 37). O termo de raiz é aproveitado da terminologia pitagórica. Os predecessores de Empédocles tinham investigado qual podia ser o primeiro elemento a partir do qual todos os outros se teriam constituído. Tales decidiu-se pela água, Anaxímenes pelo ar o Heráclito pelo fogo. Empédocles não privilegia qualquer deles e acrescenta a terra aos três precedentes, terra da qual nasceram os seres vivos (31 A 72) e à qual regressam.

Gobry: stoikheia

stoikheia (tá) / stoikheia: elementos. Latim: elemento.

Componentes simples do mundo sensível. E o plural da palavra neutra tò stoikheion, raramente empregada sozinha, pois o real se apresenta como uma coabitação dos elementos simples que o compõem. Aristóteles define o elemento como: "Um primeiro componente de um ser, que lhe é imanente e é indivisível em outras espécies" (Met., A, 3).

Corpo

Segundo Brisson & Pradeau, o corpo é para Plotino o resultado de uma informação parcial da matéria. É uma razão (logoi) proveniente da alma que é a causa da existência do corpo. Vide Eneada-II, 4, 5.