Neoplatonismo

Excerto de MERLAN, Ph., From Platonism to Neoplatonism. The Hague: Nijhoff, p. 1, n. 1

As seguintes assunções parecem estar entre as características do que é chamado Neoplatonismo.

1. Uma pluralidade de esferas de ser estritamente subordinadas umas às outras, de modo que temos uma série cujos termos únicos representam graus superiores e inferiores de ser - com a última e mais irreal esfera de ser compreendendo o que normalmente é chamado de ser perceptível, i.é., ser no tempo e no espaço.

2. A derivação de cada esfera inferior do ser de sua superior, esta derivação não sendo um processo no tempo ou espaço e, portanto, comparável a uma implicação mental (lógica) ao invés de uma relação causal (espaço-temporal), portanto, a "causalidade" de todas as esferas em relação umas às outras não sendo do tipo de causalidade eficiente.

3. A derivação da esfera suprema do ser de um princípio que, como fonte de todo o ser, não pode ser descrito como sendo - está acima do ser e, portanto, totalmente indeterminado, sendo esta indeterminação não a indeterminação de um conceito mais universal, mas uma indeterminação ôntica, isto é, o "ser" mais completo precisamente porque não se limita a ser isto ou aquilo.

4. A descrição dessa indeterminação ôntica também dizendo que o princípio supremo é Uno, esta unidade expressando não apenas sua singularidade, mas também sua simplicidade completa, i.é., a falta de qualquer determinação, "Uno" designando não algum tipo de descrição adjetiva, mas sendo antes a expressão comparativamente positiva do princípio supremo, sendo nem isso nem aquilo.

5. A multiplicidade crescente em cada esfera do ser subsequente, a multiplicidade maior designando não só o maior número de entidades em cada esfera subsequente, mas também a determinação (limitação) crescente de cada entidade, até chegarmos à determinação espaço-temporal e, portanto, ao mínimo de unidade.

6. O conhecimento apropriado ao princípio supremo como sendo radicalmente diferente do conhecimento de qualquer outro objeto, em que o primeiro, em vista do caráter estritamente indeterminado do princípio supremo, não pode ser conhecimento predicativo, cujo conhecimento é apropriado apenas para seres que exibem alguma determinação.

E a dificuldade mais fundamental característica do que se denomina neoplatonismo é a explicação e justificação do porquê e do como da passagem do Uno à multiplicidade, com o princípio da matéria desempenhando um papel importante nesse processo.

Neoplatonismo

Submitted by mccastro on Thu, 03/05/2012 - 20:17

(in. Neo-Platonism; fr. Néo-platonisme; al. Neuplatonismus; it. Neoplatonismó).

Escola filosófica fundada em Alexandria por Amônio Saccas no séc. II d.C., cujos maiores representantes são Plotino, Jâmblico e Proclos. O neoplatonismo é uma escolástica, ou seja, a utilização da filosofia platônica (filtrada através do neopitagorismo, do platonismo médio e de Fílon) para a defesa de verdades religiosas reveladas ao homem ab antiquo e que podiam ser redescobertas na intimidade da consciência. Os fundamentos do neoplatonismo são os seguintes:

Apresentação

O propósito deste site é dar a conhecer, com ênfase no legado de Plotino, o pensamento de Platão e de sua tradição, que ganhou forma e se prolongou pelo Médio Platonismo e o Neoplatonismo, atravessando a Idade Média e o Renascimento, e se manifestando em movimentos modernos como os Platonistas de Cambridge. Conforme se pode notar pelo menu de navegação principal, à esquerda, não nos limitamos a apresentar a obra e o pensamento de Platão e de seus seguidores até nossos dias.

Página não encontrada

Esta página recebe sua visita provavelmente porque foi feita a tentativa de se abrir alguma página remanejada, excluída ou que ainda encontra-se em construção. Lamento e solicito que tenha paciência pois as páginas deste site ainda estão sendo organizadas. No aguardo da página desejada aproveite o que tem disponível!

Taylor: Alcibiades I

This dialogue therefore is the beginning of all philosophy, in the same manner as the knowledge of ourselves. Hence many logical and ethical theorems are scattered in it, together with such as contribute to entire speculation of felicity. It likewise contains information with respect to many things which contribute to physiology, and to those dogmas which lead us to the truth concerning divine natures themselves. Hence too the divine Iamblichus assigned this dialogue the first rank, in the ten dialogues, in which he was of opinion the whole of Plato was contained.

Platão - Taylor

O platonista Thomas Taylor fez um trabalho muito respeitado durante o século XIX, organizando e traduzindo do grego a obra de Platão. Sua tradução guarda certo aspecto místico dos diálogos, que atrai aqueles mais interessados em algo mais "esotérico" no pensamento de Platão; por isto mesmo é combatida pelos estudiosos acadêmicos.

Hoje em dia a edição em papel desta tradução de Taylor custa uma fortuna, mas felizmente pode ser obtida gratuitamente em formato digital no Internet Archive, juntamente com outras traduções de Taylor.

Guthrie: 6. The Human Soul.

6. The Human Soul.—We have seen that the Soul of the Universe begat the human souls. Yet we have other accounts of their creation, which set forth that the Creator compounded human souls in the same vessel in which he had compounded the Soul of the Universe, the difference being that the elements used were less pure; and after creating them, the Creator assigned to each Soul its appropriate star. Thus the World-Soul and each human soul are sisters, and not related to each other as mother and daughter.